18 março 2016

Lista de Obras Literárias- Universidade Federal do Paraná 2016

É de extrema importância lermos e entendermos os livros indicados pela faculdade que prestaremos vestibular.  A UTFPR divulgou uma lista com 10 obras, confira:

1. A Última Quimera - Ana Miranda


 Debruça-se neste livro sobre a vida e a obra de Augusto dos Anjos (1884-1914), o poeta que surpreendeu nosso mundo literário ao misturar a objetividade do cientificismo com os mais profundos sentimentos do ser humano.

Lastreada por uma ampla pesquisa histórica, a autora não só dá corpo poético às inquietações metafísicas que consumiam o jovem poeta, como traça um quadro impecável dos costumes e principais acontecimentos da época: os descaminhos da República, as disputas políticas, a Revolta da Chibata, a modernização do Rio de Janeiro, o duelo entre Olavo Bilac e Raul Pompéia, a onipresente influência francesa, etc. O resultado é um panorama vivo de um dos momentos mais fascinantes de nossa história recente, numa obra literária instigante e memorável.


2.Clara dos Anjos- Lima Barreto


Último romance escrito por Lima Barreto, tendo sido publicado postumamente, Clara dos Anjos é também o livro que condensa grande parte das preocupações que rondaram a obra do autor. Lá estão o subúrbio carioca, as questões raciais, as diferenças de classe e a modernização do Rio de Janeiro no início do século XX.

Clara dos Anjos é uma mulata pobre do subúrbio, filha do carteiro João dos Anjos e de Engrácia, uma mulher “sedentária e caseira”. Por meio de amigos do pai, Clara conhece Cassi Jones, malandro de família mais abastada e notório galanteador. A despeito dos alertas de seu padrinho - que será brutalmente assassinado -, Clara inicia uma relação com Cassi.
A partir desse encontro fadado à tragédia, Lima coloca o leitor dentro de um jogo de tensões de classe, sedução e preconceito. Ao mesmo tempo, traça um rico e minucioso panorama do cotidiano nos subúrbios do Rio, com suas tristezas e mazelas, mas também como local onde a vida da cidade acontece.


3.Claro Enigma- Carlos Drummond de Andrade 

Publicado em 1951, Claro enigma representa um momento especial na obra de Drummond. Com uma dicção mais clássica, o poeta revisita formas que haviam sido abandonadas pelo Modernismo (como o soneto, modalidade que fora motivo de chacota entre as novas gerações literárias), afirma seu amor pela poesia de Dante e Camões e busca uma forma mais difícil, mas sem jamais abandonar o lirismo e a agudeza de sua melhor poesia.
O livro abre com a epígrafe do francês Paul Valéry, “Les evenements m’ennuient” (Os acontecimentos me entediam). Embora eloquente, a citação não corresponde perfeitamente à realidade, pois Drummond não vira completamente as costas para a vida mais pulsante. Pelo contrário: a experiência aparece em cada verso do livro, ainda que escamoteada por uma lírica que não se entrega ao fácil graças a uma visão algo desiludida do tempo e dos homens.
Mas há, claro, espaço para o lirismo do amor, como no célebre poema “Amar”, que começa com os versos: “Que pode uma criatura senão, / entre criaturas, amar?”. A lira romântica de Drummond está bem afinada neste livro, como pode ser comprovado pela leitura de poemas como “Rapto” e “Tarde de maio”. A mineiridade também é lembrada no livro, em poemas vazados pela nostalgia ou que recontam episódios antigos da terra natal do autor.

4.Eles não usam Black- Tie- Gianfrancesco Guarnieri 
 ”Eles não usam black-tie" situa-se numa favela carioca, nos anos 50, e tem como tema a greve, e ao lado da greve a peça tem como pano de fundo um debate sobre as grandes verdades eternas, reflexões universais sobre a nossa frágil condição humana, sobre os homens e seus conflitos.

E mais do que isso a peça é a história de um choque entre pai e filho com posições ideológicas e morais completamente opostas e divergentes, o que, por sinal, da a tônica dramática ao texto. 

5.Fogo Morto- José Lins do Rego

O nome do livro dá pistas sobre o contexto social retratado. A expressão “fogo morto” era usada no Nordeste para se referir a engenhos de cana-de-açúcar desativados, o que também remete à decadência desse tipo de negócio com a chegada das usinas. 
O livro é dividido em três partes, cada uma delas coloca em destaque personagens específicos do romance. A primeira é dedicada ao mestre José Amaro, um seleiro de saúde frágil que vive nas terras de outro personagem importante, Seu Lula, um coronel decadente e dono de engenho que se torna protagonista na segunda parte do livro. O andarilho Capitão Vitorino está no foco da história na terceira parte da obra.


6.Lavoura Arcaica- Raduan Nassar


Lavoura arcaica é um texto em que se entrelaçam o novelesco e o lírico, por meio de um narrador em primeira pessoa - André, o filho encarregado de revelar o avesso de sua própria imagem e, conseqüentemente, o avesso da imagem da família. É sobretudo uma aventura com a linguagem: além de fundar a narrativa, a linguagem é também o instrumento que, com seu rigor, desorganiza um outro rigor, o das verdades pensadas como irremovíveis. Lançado em dezembro de 1975, Lavoura arcaica foi imediatamente considerado um clássico, "uma revelação, dessas que marcam a história da nossa prosa narrativa", segundo o professor e crítico Alfredo Bosi.

7.Os Dois ou o Inglês Maquinista- Luís Carlos Martins Pena
Todo o enredo de Os Dois ou o Inglês Maquinista se passa na sala  de estar de Clemência, local no qual ela e suas filhas recebem como visitantes todos os outros personagens. Na cena inicial estão presentes as moças da família, Negreiro e Felício, que conversam sobre os acontecimentos que leem no Jornal.   Na cena seguinte descobre-se que Felício e Mariquinha estão apaixonados, mas que a existência de pretendentes mais ricos impede o casamento dos dois. Felício promete então colocar em prática um plano para que o matrimônio seja possível. Chega então à sala de estar o Inglês, Sr. Gainer, o outro pretendente de Mariquinha, que comenta sua mais nova invenção: uma máquina que faz açúcar a partir de ossos. [...]

8.Sermão de Santo Antônio [aos peixes]- Antônio Vieira 
O Sermão de Santo Antônio aos Peixes foi pregado em 13 de Junho de 1654 em São Luís do Maranhão, em 1654, três dias antes de embarcar escondido para Portugal no auge da luta dos jesuítas contra a escravização dos índios pelos colonizadores, procurando o remédio da salvação dos Índios. O sermão revela toda a ironia, riqueza nas sugestões alegóricas e agudo senso de observação sobre os vícios e vaidades do homem, comparando-o, por meio de alegorias, aos peixes.

Critica a prepotência dos grandes, que, como peixes, vivem do sacrifício de muitos pequenos, os quais "engolem" e "devoram". O alvo são os colonos do Maranhão, que no Brasil são grandes, mas em Portugal "acham outros maiores que os comam, também a eles".

9.Últimos Cantos- Gonçalves Dias





10.Várias Histórias- Machado de Assis


Publicado em 1896, Várias Histórias é um exemplo perfeito da maestria com a qual Machado de Assis desenvolveu o conto, produzindo tesouros que estão entre os mais preciosos da Literatura Brasileira. Antes de mergulhar em suas narrativas, portanto, necessário se faz entender um pouco da técnica do autor em tal forma artística.
Machado de Assis notabilizou-se por dominar a análise psicológica, dissecando a alma humana em busca de sua essência, que muitas vezes é dilemática, ou seja, expressa o conflito e muitas vezes a conciliação entre elementos opostos. É muito comum em suas narrativas depararmo-nos com ações que, mesmo tendo uma determinada inspiração, revelam também o seu oposto, como no caso do usurário (pessoa extremamente apegada a bens materiais, a lucro e a dinheiro) de Entre Santos, que, em pleno desespero por causa da possibilidade da perda de sua esposa, faz uma promessa fervorosa que tanto revela seu amor à mulher quanto seu apego à noção de lucro, pois se perde em delírios diante da cifra de orações que se propõe a rezar.


Algumas dessas obras estão disponíveis em domínio público:
 Clara dos Anjos, de Lima Barreto, em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bn000048.pdf 

 Os Dois ou o Inglês Maquinista, de Luís Carlos Martins Pena, em:  http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bn000154.pdf 

• Sermão de Santo Antônio [aos peixes], de Antônio Vieira, em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bv000033.pdf 

• Últimos Cantos, de Gonçalves Dias, em: http://www.brasiliana.usp.br/handle/1918/00634600#page/9/mode/1up• Várias Histórias, de Machado de Assis, em: http://machado.mec.gov.br/images/stories/pdf/contos/macn005.pd
f


Você já leu algum desses livros? Deixe seu comentário falando o que achou. 

2 comentários:

  1. Oi flor adorei o post! Então, meu blog está com uma meta de 150 seguidores, falta pouco e eu fiz lá um "game" de que todo mundo ganha, confere lá se você puder também.

    Beijos, obrigada desde já.
    http://blogclose-it.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Comentários são muito importantes!