01 agosto 2016

Resenha: "O Ateneu" - obra de Raul Pompéia

Boa tarde leitores e leitoras, hoje é dia de resenha. O livro escolhido foi "O Ateneu", obra de Raul Pompéia.

O Ateneu - Resumo 
"Crônica de saudade"



"Raul Pompéia e O Ateneu"




O Ateneu foi escrito por Raul Pompeia, em 1888 foi publicado. A obra consagra o Realismo brasileiro. O livro narra a vida e a formação do caráter do jovem Sérgio no colégio interno Ateneu, localizado no bairro Rio Comprido, no Rio de Janeiro. O texto é narrado pelo personagem principal, Sérgio, antes do menino entrar no internato já havia passado por um externato e por um professor particular.

(D. Ema)
O internato era um lugar corrupto e moralista, dirigido por Dr. Aristarco, um homem que só se importava com dinheiro e bens materiais. Sérgio narra todos os momentos e perde poucos detalhes de sua passagem de 2 anos pelo colégio. Antes de ingressar no internato, Sérgio e seu pai foram visitar o diretor, lá conheceram também D. Ema, mulher de Aristarco, a qual pediu para que Sérgio cortasse os cabelos como simbolo do fim dos laços maternais. 

A sua primeira experiência em sala foi traumática. Enquanto o menino era apresentado a classe pelo professor, acabou desmaiando. Sérgio comecou a sentar ao lado de Rebelo, um aluno exemplar. Seu primeiro bom amigo foi Sanches, a amizade começou logo apos Sérgio quase se afogar em uma aula de natação, Sanches o salvou. Os dois estudavam juntos e assim tiravam boas notas, até que então brigaram, a amizade acabou. Sérgio começou a tirar notas baixas, e como castigo, o diretor o repreendeu e expos suas notas a todos. 

Sérgio acaba fazendo más amizades, uma delas foi Franco, o menino era um verdadeiro peralta, era sempre castigado. Ao ver Franco fazendo maldades e travessuras, Sérgio se afasta e resolve ir á igreja rezar. Ele desenvolve novas amizades, Barreto ou beato, o influencia a rezar e fazer jejum, mesmo assim Sérgio continua com suas notas baixas. Ele se revolta com Deus e se afasta do amigo beato. 

O livro mostra a formação pessoal de Sérgio, nele se tem abertura para homossexualidade e amores ingênuos. Bento Alves era um garoto que trabalhava na biblioteca, acabou se apaixonando por Sérgio, eles mantem uma relação, Sérgio até recebe um buque de flores. Depois de uma briga corpo-a-corpo eles rompem e Bento abandona o internato após a briga.      
(O internato)

Após as férias, Sérgio conhece Egbert, denominado pelo narrador como o seu único verdadeiro amigo, pois era uma amizade sem interesses e repleta de admiração . Egbert era um bom aluno, sempre teve boas notas, ele e Sérgio foram convidados a um jantar na casa de Dr. Aristarco, o diretor. Neste jantar Sérgio encontra D. Ema, e reafirma o seu amor platônico por ela, o menino então percebe que já era homem e resolve se afastar de Egbert. 

No desfecho do livro a escola sofre um incêndio, provavelmente causado por um aluno novo, chamado Américo, o qual foi deixado no internato contra a sua vontade. A escola é destruída,  D. Ema abandona o diretor.   
(Colégio pegando fogo)

Sobre o autor: 

Raul Pompeia nasceu em Angra dos Reis, estudou no internato do Colégio Abilío. Se tornou um homem triste e depressivo, e acabou cometendo suicídio em uma noite de natal, quando tinha 32 anos de idade. Sua passagem pelo internato lhe deu subsidio e conhecimento para escrever a obra "O Ateneu".  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são muito importantes!