28 janeiro 2016

Crítica do filme "Reza a Lenda"





Sinopse: Em uma terra sem lei, a sorte favorece apenas os mais fortes e corajosos. Ara, um homem de ação e poucas palavras, é o líder de um bando de motoqueiros armados que acredita em uma antiga lenda capaz de devolver justiça e liberdade ao povo da região. Quando realizam um ousado roubo, acabam despertando a fúria do poderoso Tenório. Agora, Tenório vai concentrar todas as suas forças em uma perseguição para destruir o bando de Ara e recuperar aquilo que acredita ser seu por direito. Durante a perseguição, a jovem Laura é resgatada de um acidente e tem que seguir o bando contra a sua vontade, despertando ciúmes em Severina, companheira de Ara.

"Reza a Lenda" é uma produção brasileira que foge do que geralmente se vê no cinema nacional- a comédia e filmes de teor social- é um filme de ação e aventura que abre as portas do cinema nacional para outros gêneros.
Mas, apesar dessa novidade no estilo, o filme deixa muito a desejar, a história é superficial, gira em torno de apenas uma coisa, a lenda da santa, os personagens são estereotipados,por exemplo vemos duas mulheres brigando por um homem, uma mocinha quieta e uma mulher raçuda.

Podemos dizer que esse é um "filme de imagem", onde o mais interessante é o visual dos personagens e os cenários fieis à história.

 O nosso honra ao mérito fica com Sophie Charlotte, que interpretou muito bem Severina, mulher forte e raçuda que marca seu território no meio de tantos homens,a atriz está acostumada a fazer papel de mocinha na televisão, mas no filme ela com certeza se superou. Vale lembrar que o diretor dispunha de atores maravilhosos, como Cauã Reymond no papel principal, mas não soube aproveita-los ao máximo. 

 

Antes do lançamento do filme os críticos e pessoas em geral estavam esperando do filme algo como o "Mad Max" brasileiro, mas Reza a Lenda se mostrou muito inferior. 

MAD MAX se passa em um vasto deserto num futuro pós-apocalíptico 


A melhor parte do filme foi a combinação das cenas de ação com a trilha sonora, muito bem escolhida, dando uma agressividade a mais no filme.

Outro ponto do filme é que o diretor, possivelmente sem muita história, resolveu apelar para cenas de sexo e nudez, o cinema nacional precisa largar desse costume.  

Já assistiu ou pretende assistir o filme? Conte para nós sua opinião!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários são muito importantes!